Existem várias razões pelas quais o e-commerce tem experimentado uma popularidade crescente. Em todo o mundo, a conveniência é uma necessidade cada vez maior de residências localizadas em ambientes urbanos, onde as mercearias tradicionais nem sempre estão em questão. A falta de tributação on-line também garante que o crescimento do varejo provavelmente não será prejudicado. Um site de varejo pode abrigar uma infinidade de fornecedores e tipos de produtos não anteriormente possíveis. Enquanto os mercados tradicionais com varejo podem sofrer flutuações, o comércio eletrônico provavelmente continuará a crescer. Os mercados de varejo diretos ainda estão crescendo em países subdesenvolvidos, como a África e a Índia, no entanto, nas economias em crescimento, as operações de tijolo e argamassa por exemplo estão experimentando uma queda nos lucros devido à concorrência acirrada.

Indústria pioneiras no e-commerce como a Amazon há muito tempo dão um exemplo de estratégia inteligente. A Amazon oferece consistentemente uma experiência segura e intuitiva para os compradores on-line, oferecendo incentivos aos usuários por meio de vantagens de fidelidade e recomendações personalizadas com base no histórico de compras. O Amazon Prime é um desses programas. Dados recentes afirmam que 60% dos consumidores dos EUA são usuários do Amazon Prime. Muitos observadores do setor acreditam que o comércio eletrônico é o futuro do varejo, sendo que maior parte do crescimento do setor varejista ocorre no espaço digital. É plausível que 2018 siga a mesma tendência, e que o crescimento continue a acontecer; a Federação Nacional de Varejo (NRF) também declara expectativas de que as vendas totais do varejo atinjam de 3,7 a 4,2% em 2018. Isso exclui carros, postos de gasolina e vendas de restaurantes.

Clientes eletrônicos tem sido muito lucrativo para os varejistas online. Essas empresas on-line geralmente se beneficiaram muito com o comércio eletrônico devido à maior disponibilidade de produtos já sob demanda. Efetuar um pagamento seguro não é mais um problema, graças a plataformas como o Paypal, permitindo que os consumidores comprem itens caros com pouco ou nenhum esforço envolvido, exceto o clique de um botão e algumas pesquisas diligentes.

Um mercado novo e incomum para aumentar em números tem sido o do ramo de alimentos, como supermercados. Compras de supermercado tradicionais, construídas em torno da avaliação da qualidade física do produto, podem ser substituída pelo crescente desejo de conveniência e pela nova e avançada tecnologia de visualização de produtos. Um novo relatório revela que as compras de supermercado,  é uma necessidade em todas as residências no mundo inteiro, e está alavancando o comércio eletrônico pelos mercados da China, Coréia do Sul e Reino Unido.

Existem outros fatores a favor do aumento do comércio eletrônico. A NRF relata que os consumidores desenvolveram maior confiança devido ao aumento da renda, menor desemprego e força no mercado imobiliário. Além de oferecer comodidade e ser mais seguro do que nunca, o desenvolvimento de e-commerce também está crescendo de acordo com o mercado. A BI Intelligence, serviço de pesquisa comercial, prevê que os consumidores dos EUA aumentarão os gastos para US $ 632 bilhões até 2020, apoiando a crença de que o comércio eletrônico está destinado a dominar o setor de varejo. E no Brasil não será diferente, o consumidor brasileiro tem intuitivamente demonstrado evolução conceitual para a compra eletrônica, de acordo com eBit, as vendas eletrônicas cresceram em 27,3% em 2017. Isso pode parecer surpresa, mas não é, o comércio eletrônico representou uma porcentagem considerável de crescimento mundial, apesar da volatilidade nos mercados. Essa tendência foi observada em 2016, quando o varejo total teve um crescimento de 2%, com 16% relacionado ao comércio eletrônico.

O futuro do desenvolvimento móvel crescerá com o comércio eletrônico. Já existe uma variedade de aplicativos e serviços online para compras on-line ou pré-pedidos de itens. Os compradores on-line viram um aumento aproximado de 20 milhões de 2015 a 2016. Esses compradores gastaram mais do que o ano anterior. A conveniência do comércio online contribui para compras frequentes dos consumidores  e mostra que os números desse tipo de transações estão aumentando em milhões. As empresas do setor de software já estão se beneficiando desse boom. Isso se deve ao fato de as empresas precisarem de um conjunto de ferramentas de software eficazes e em constante evolução para criar transações fáceis e atraentes para os consumidores no processo de compra on-line. A demanda por software integrado está definida para aumentar a melhora e acelerar o tráfego na Internet acelera e o software para e-commerce ajuda e melhora outros importantes recursos, como pronto atendimento e remessas dos produtos.

Se você procura soluções para mercados, plataformas de ecommerce e ebusiness, a Ivy Mobility pode ajudar.